A Corrupção do Evangelho – Pr. João Brito Nogueira

A Corrupção do Evangelho – Pr. João Brito Nogueira

A CORRUPÇÃO DO EVANGELHO
                                                                                                                                                 
 Pr. João Brito Nogueira

O mundo está passando por uma séria crise moral e espiritual. Vivemos dias dificílimos em se tratando de moralidade, idoneidade, honestidade, fidelidade, credibilidade.

Lamentavelmente também constatamos que a corrupção alcançou níveis alarmantes. Podemos ver com clareza a corrupção política, social, financeira, ética e moral em todos os setores da sociedade e em todos os escalões do Poder Executivo, Legislativo e Judiciário do nosso querido Brasil.

Porém, o mais preocupante é constatarmos que em um país que se diz cristão (em sua grande maioria), a corrupção também chegou de forma descarada e alarmante no que diz respeito à Fé Genuína e ao Evangelho puro e verdadeiro ensinado por Jesus. É vergonhoso atestarmos o fato de que a Fé Cristã também tem sido alvo das mais variadas formas de corrupção, fazendo com que surjam em paralelo e em contradição com o Evangelho de Jesus Cristo, outros “evangelhos”.

Agora estamos ouvindo e praticando:

O evangelho do mercantilismo – O evangelho do lucro financeiro. Os que cobram para pregar, os que cobram para cantar, os que cobram para testemunhar, os que cobram para tocar… Onde quem manda é o dinheiro. E, caso você não ofereça uma “oferta gorda” nunca encontrará agenda disponível.

O evangelho do curandeirismo – O evangelho que explora a boa fé do povo, prometendo cura divina a todos, recolhendo ofertas em troca de curas, e confundindo evangelismo com curandeirismo.

O evangelho da “ostentação” – O evangelho em que os “Pastores Televisivos” e outros “medalhões” disputam entre si quem tem mais poder, quem tem mais horário na TV, e quem tem o jatinho mais moderno e melhor.

O evangelho das “crendices” – O evangelho do sal grosso, da rosa amarela, do cajado de Moisés, da agua do Rio Jordão, do óleo consagrado, da areia da “Terra Santa”, do lenço suado, da água benzida, etc.

O evangelho das tradições – O evangelho dos que são cristãos nominais, que possuem uma tradição cristã mas não experimentaram uma genuína conversão. Pessoas que apenas seguem tradições de família.

O evangelho “gospel” – O evangelho importado, “americanizado”, “australianizado”, descontextualizado, “agringalhado”, dos cantores gospel, da música gospel, da moda gospel, dos “songs” da vida. Abrindo “Igrejas Gospel”, como quem abre franquias de “fast food” – Igreja do modelo A, B, C, etc.

O evangelho do “Funk” – O evangelho do ESTÁ TRANQUILO…ESTÁ AMARRADO!!! O mundo está de cabeça para baixo, a violência cresce, a criminalidade se multiplica, a corrupção alcança níveis insuportáveis, e o “cristão” está aí “tranquilo e dominado”, acomodado, anestesiado, insensível a realidade e cantando: “está tranquilo…está amarrado”..

O evangelho da superficialidade – O evangelho raso, sem raiz, sem doutrina, sem teologia séria, sem embasamento bíblico. É o evangelho sem transformação de vida, sem compromisso com Deus, com a Igreja, com a sã doutrina. O evangelho sem mudanças de comportamentos, atitudes, hábitos e sem “novo nascimento”.

O evangelho dos fanatismos – O evangelho dos fanáticos, via de regra, é praticado por pessoas:

  • Bem intencionadas, mas mal orientadas, mal instruídas e ignaras no entendimento e na interpretação correta da Bíblia Sagrada.
  • Dedicadas, mas que são manipuladas por falsos mestres.
  • Que confundem usos e costumes com Doutrina.
  • Que não sabem diferenciar o emocional do espiritual.
  • Que se deixam levar pelas emoções e permitem ser manipulados por obreiros fraudulentos e pastores falsos, maldosos e inescrupulosos.

O evangelho do vale tudo – O evangelho que não rompe com a carnalidade, a imoralidade, a promiscuidade, a desonestidade, a incredulidade, a irresponsabilidade, a licenciosidade, a libertinagem. O evangelho que não combate o pecado e não exige transformação de vida.

Lembremo-nos de que um evangelho que não exige nada, que não cobra nada, que não requer nada, que não muda nada. É um evangelho que não vale nada.

O evangelho do sincretismo religioso – O evangelho que é uma grande “mistureba” de: gospel, catolicismo, espiritismo, idolatria, umbanda, feitiçaria, macumba. Desta mistura normalmente resultam os que se auto intitulam de espiritualizados.

O evangelho das concessões – O evangelho dos que acham que podem servir a dois senhores. Daqueles que tentam ascender uma vela para Deus e outra para os demônios.

O evangelho dos que, na prática, agem sem levar em consideração os princípios da ética cristã, e acham que os fins justificam os meios”.

Deste tipo de evangelho é que também surgem os “evangélicos” que:

  • Saem em bloco no carnaval como súditos do Rei Momo.
  • Festejam as festas pagãs e idólatras, chamadas juninas e outras.
  • Participam de festas de feitiçaria, como “halloween”, etc.

Diante desse preocupante quadro, cabe a nós, como cristãos comprometidos com a Sã Doutrina, e com a pureza do Evangelho de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, apelarmos seguindo o exemplo do Apóstolo Paulo quando escreveu dizendo: “Há alguns que vos inquietam e querem transformar o evangelho de Cristo. Mas ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema (maldito, abominável, detestável, condenável). Assim como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo; se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema” (Gálatas 1:7-9).

Pr. João Brito Nogueira – IEBV
pastor_brito
 

 

 

 

Share